Skip to content
setembro 21, 2010 / Hunzerf

Monte Alegre do Sul – água e aguardente

Cachaça e banhos medicinais em um cenário bucólico e rural. Essa é a receita de um dos melhores destinos de final de semana do Estado de São Paulo. Monte Alegre do Sul encontra-se no Circuito das Águas, próximo à Serra Negra. Possui o melhor Balneário municipal de todo o circuito.

Diferentemente de cidades como Águas de Lindóia, que possui perfil mais familiar (isto é, cheio de crianças), Monte Alegre do Sul permanece intocada pelos turistas, guardando sua herança de colonização européia no belo e arborizado centro, com suas casinhas em estilo Neo Colonial.

A colonização italiana é responsável pelas jóias gastronômicas locais: as melhores cachaças artesanais de São Paulo, com destaque para a Adega do Italiano (não envelhecida),  Campanari Chora Menina (esta produz ainda uma grappa de jaboticaba digna de menção). Na verdade são mais de 40 produtores, cuja produção pode ser conferidas nas próprias fazendas. O negócio é seguir as placas e descobrir a sua preferida. Nas fazendas, pode ser que haja até um churrasco em andamento para acompanhar a degustação. E a degustação pode se arrastar por algumas horas, na companhia de figuras locais.

Encerre a maratona etílica pouco antes das cinco. Você não vai querer deixar de conhecer o Balneário Municipal. Comece pelas saunas, úmida e seca, e sinta-se em Atenas discutindo política com ilustres personalidades monte-alegrenses, enquanto o funcionário prepara o banho de imersão. Siga para a ducha escocesa e encerre o expediente nas massagens de ótimo custo-benefício.

Para jantar, suba até Serra Negra para conferir um dos melhores bacalhaus do país, no Sr. Bacalhau. Para almoçar, o novo Rudah tem opções interessantes e bem executadas de peixes e carnes exóticas. Para comida regional, vá ao Rancho. Para drinques, o bonito Bar da Fonte.

Outra iguaria local, a coalhada da Doceria Peschieira vale por uma refeição.

A pousada Cafezal em Flor fica no meio de um cafezal, e é opção interessante de estadia. Apesar do estilo rústico, os chalés possuem camas confortáveis e são bem espaçosos.

Antes de ir embora, não deixe de caçar os produtos orgânicos da região, que são muitos. O morango de lá é bem famoso, e faz jus à fama.

Na volta para são Paulo, a parada é Bragança, para comprar a linguiça de Bragança. Bragança é também bom ponto de parada na ida. Saindo no km 10 da Fernão Dias, e pegando uma estrada de terra, o restaurante O Gaulês merece o pequeno desvio de rota, pois é um restaurante super agradável e de ótima comida. Destaque para as terrines do couvert, para as casquinhas de vieira e para o confit de pato.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: